Claudia Hoerig já se encontra nos Estados Unidos

Claudia Hoerig já se encontra sob custódia nos Estados Unidos, acusada de assassinato do marido da Força Aérea em Trumbull Co.

Os promotores americandos alegam que Claudia Hoerig matou seu marido em Newton Falls em março de 2007 e depois fugiu para o Brasil no mesmo dia do assassinato.

Claudia Hoerig ér acusada de assassinar seu marido, o Major da Força Aérea, Karl Hoerig, em 2007 e na ultima quarta-feira, dia 17/01/2018 retornou ao condado de Trumbull, Ohio.

O promotor do condado de Trumbull, Dennis Watkins, anunciou às 9h30 da manhã da quarta-feira que Cláudia encontra-se detida na prisão do condado de Trumbull.

Ela compareceu perante o Juiz Andrew Logan no Tribunal Comum de Pleas Court do Condado de Trumbull na data de hoje, sexta-feira, às 10 horas.

Karl Hoerig era um major da Força Aérea na base aérea em Viena.

O deputado estadual americando John Boccieri, que trabalhou com Karl na base aérea, recebeu a notícia EUA sobre a extradição e disse: “Depois de muitos anos de espera, a justiça é finalmente será feita”.

Faz 11 anos que um mandado internacional de prisão foi emitido para a prisão de Hoerig sob a acusação de homicídio agravado.

O corpo de Karl foi encontrado dentro de sua casa de Newton Falls em março de 2007, coberto com uma lona no fundo da escada. Ele havia sido baleado duas vezes nas costas e uma vez na cabeça.

Os promotores dizem que Hoerig o matou Karl e depois fugiu para seu país natal – Brasil, no mesmo dia.

Ela estava presa no Brasil, mas somente  em março de 2017, o Supremo Tribunal Federal do Brasil votou a favor em mandá-la de volta aos EUA para julgamento.

O promotor Watkins disse que está extasiado com o retorno de Hoerig ao Condado de Trumbull – tanto assim, que as palavras não podem descrever sua felicidade.

Ele creditou o trabalho por autoridades policiais, estaduais e federais e, principalmente ao Governo Brasileiro, bem como aos meios de comunicação, congressistas, incluindo os deputados Tim Ryan, Bill Johnson e John Boccieri – e a família de Karl Hoerig por trazê-la de volta aos EUA.

“Quero dizer o quanto meu coração e meus pensamentos estão com a família. Não consigo imaginar o que eles atravessaram nos últimos 11 anos, e para eles finalmente obter algum encerramento, isso é gratificante para mim, e meu escritório e minha equipe estão trabalhando nisso, mas estamos tão felizes para eles “, disse o deputado Ryan.

O deputado Bill Johnson emitiu a seguinte declaração sobre a prisão de Claudia Hoerig: “Em primeiro lugar, estou extremamente feliz pela família de Karl. Eles passaram por uma provação que nenhuma família deveria sofrer. Não consigo imaginar a dor e a angústia que finalmente acabaram.”

Este dia é a muito tempo aguardado.

Muitas pessoas, como o procurador do condado de Trumbull, Dennis Watkins, o representante Tim Ryan, o ex-deputado John Boccieri, as autoridades locais, estaduais e nacionais, e, claro, a família Hoerig, nunca desistiram de sua missão.

Watkins disse que Claudia Hoerig ainda é presumida inocente até que seja comprovada a culpa e receberá um julgamento justo.

Cumpre observar que o Estado de Ohio ainda possui a pena de morte, o que é alvo de diversas criticas por considerar a pena retrógrada.

Porém, o Estado de Ohio pouco flexibiliza sua legislação e, para se ter um parâmetro, em Novembro de 2017 foi determinada a execução de um homem de 69 anos chamado Alva Campbell, por um assassinato cometido em 1997.

Alva anda com ajuda de um andador, carrega uma bolsa de colostomia, tendo cancer pulmonar obstrutivo crônico, tomando quatro remédios respiratórios por dia.

Para poder cumprir a sua execução, o Estado teve que fazer modificações em seus procedimentos para matá-lo corretamente, adaptando um travesseiro funcional para suportar as suas limitações.

Boa sorte Cláudia…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ir para a barra de ferramentas